Os Perigos da Hidrolipo

A- O que é a Hidrolipo?
Hidrolipo é apenas um nome comercial, uma estratégia de marketing para um procedimento de retirada de gordura através de cânulas. O nome correto é Lipoaspiração. Todo procedimento que envolve a remoção de gordura através de pequenos orifícios na pele e aspiração com cânulas ligadas a algum aparelho ou seringa que produzem vácuo se chama Lipoaspiração!
B- Qual a diferença entre ela e a Lipoaspiração?
Não existe diferença na cirurgia, são exatamente a mesma coisa.
O que ocorre é que quando o médico fala em hidrolipo em geral ele quer dizer que a cirurgia será realizada em consultório, com anestesia local, sem os equipamentos de segurança e sem uma equipe completa. Mas a forma de retirada da gordura é a mesma.
Nos dois procedimentos é injetado uma solução composta de soro fisiológico e medicamentos. O que muda é a concentração dos anestésicos locais. Quando é utilizado anestesia local pura a dose destes medicamentos chega muito próxima ou ultrapassa a dose tóxica e por isso os riscos são maiores. Por isso que toda lipoaspiração deve ser realizada na presença de um anestesista. Ela pode ser feita com anestesia local, geral ou peridural, mas o anestesista sempre deve estar presente para monitorar o paciente e para associar uma sedação no caso da utilização da anestesia local ou peridural. Com a sedação o paciente dorme e são administrados outros remédios que fazem com que ele não tenha dor esta associação de técnicas faz com que as doses de todos o medicamentos sejam menores reduzindo assim o risco de reações adversas.
Quando se utiliza apenas anestesia local, o paciente fica acordado e ele pode sentir dor ou sentir o movimento da cânula embaixo da pele o que gera desconforto e ansiedade. Além disto, como o anestésico é aspirado juntamente com a gordura seu efeito acaba mais rápido. Por isso o procedimento realizado com esta modalidade anestésica precisa ser mais rápido e assim cânulas maiores e mais grossas precisam ser utilizadas.
Toda retirada de gordura remove também fluidos e eletrólitos do corpo. Portanto depois de qualquer um destes procedimentos é necessário fazer uma reposição destes fluídos e eletrólitos, por isso muitas vezes deixamos o paciente internado de um dia para o outro. Além disto durante a internação prescrevemos medicamentos para evitar dor e náuseas e o paciente fica em observação por equipe treinada, isto tudo aumenta o conforto e a segurança do procedimento.
O tempo de repouso e de recuperação pós-operatória e os cuidados são os mesmos tanto para a “Hidrolipo” como para a Lipoaspiração e este tempo é variável de acordo com a extensão da cirurgia.
C- Os perigos do procedimento da hidrolipo se diferem da lipoaspiração?
Como se tratam do mesmo procedimento os riscos e possíveis complicações são os mesmos.
Porém, quando o médico utiliza o termo “Hidrolipo” os riscos podem estar muito aumentados porque ele pode estar se referindo a uma cirurgia realizada no consultório, sem equipamentos de segurança e reanimação, sem uma equipe completa e com anestesia local (o tipo de anestesia mais relacionado a reações adversas e a toxicidade).
Outro fato que aumenta o risco da “Hidrolipo” é que quem utiliza este termo em geral não é um cirurgião plástico e portanto não teve uma formação e treinamento adequado para realização desta cirurgia. Apenas Membros da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica podem participar de congressos e cursos da especialidade!
D- A hidrolipo é reconhecida pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica?
O termo “Hidrolipo” não é utilizado pelos cirurgiões plásticos do Brasil e do mundo. Isto pode ser facilmente observado nos livros, revistas e congressos da especialidade. Procurando pela internet no programa científico dos nossos congressos qualquer um pode observar que este termo nunca é utilizado.
E- Quais os cuidados que as pessoas precisam ter quando decidem se submeter a este tipo de intervenção cirúrgica?
10 Passos para uma Lipoaspiração Segura
1- Certifique-se que seu cirurgião realmente possui o Título de Especialista em Cirurgia Plástica.
– Isto pode ser feito através do site da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica: www.cirurgiaplastica.org.br
– Ligando para o Conselho Regional de Medicina:CRM PA
2- Escolha o local adequado.
– A cirurgia deve ser realizada em hospital ou clínica que possua todos os recursos de segurança. Devem estar presentes medicamentos, equipamento de anestesia, fontes de oxigênio e outros gases, desfibrilador, materiais para reanimação, monitores entre outros. É importante também que o local tenha gerador de energia para o caso de uma queda inesperada da rede elétrica.
– Certifique-se que o local escolhido tem autorização da Vigilância Sanitária para realização do procedimento proposto.
3- Equipe Completa
– O cirurgião não opera sozinho, ele precisa de uma equipe completa formada por: cirurgião principal, cirurgião assistente, médico anestesista, instrumentadora cirúrgica e enfermeira circulante.
4- Indicação
– A melhor indicação de uma Lipoaspiração é para a retirada de gordura localizada. Aquelas gordurinhas que mesmo com muito exercício físico e dieta não desaparecem. Ela não é um tratamento para emagrecimento. Preferencialmente os pacientes devem estar com o peso dentro do normal ou no máximo em sobrepeso, não tem uma boa indicação para obesos. Flacidez de pele também não é tratada pela Lipo.
5- Exames Pré-operatórios
– O cirurgião solicita exames para garantir que o paciente esta apto para realização do procedimento e o paciente deve também ser avaliado por um clínico geral ou cardiologista para realização do Risco Cirúrgico.
6- Respeite os limites
– Existem limites de segurança para o volume e área a ser tratada. Em geral deve-se retirar um volume de no máximo 7% do peso corporal e atuar em no máximo 40% da área corporal. Tenha objetivos bem definidos e confira com o médico se eles podem ser alcançados. Cuidado com expectativas irreais. Não se compare às mulheres das revistas, nem elas são daquele jeito!
7- Conte tudo sobre sua saúde para o médico
– O cirurgião precisa saber sobre suas doenças e alergias atuais e pregressas, assim como todos os medicamentos ou substâncias que você esta utilizando.
8- Tenha uma vida saudável.
– A cirurgia plástica não substitui exercícios físicos e uma dieta correta e balanceada. O tabagismo é prejudicial à sua saúde e à cirurgia.
9- Pós-operatório
– Siga corretamente as orientações do seu médico após a cirurgia, uma boa evolução depende muito disto.
10- Quando fazer
– Escolha um período de tranquilidade, um período de paz. Evite fazer cirurgias logo após mudanças na vida, tanto pessoais como profissionais. Escolha uma data que permita um período de repouso adequado no pós-operatório.